Como criar um bom orçamento de obras

Parceiro

Como criar um bom orçamento de obras

Não há como fazer um bom planejamento sem primeiro fazer um bom orçamento de obra, não é mesmo? E isso vale para tudo, desde nosso planejamento financeiro pessoal até os planejamentos mais complexos e elaborados, como é o caso das grandes obras presentes na construção civil

Dessa forma, o orçamento é uma ferramenta essencial para a gestão de obras e não há como fazer uma gestão eficiente se ele estiver inconsistente ou incorreto. Por isso, ao ser criado, ele precisa contemplar todos os detalhes da obra e de todos os departamentos.

Assim, pode ser um grande desafio considerar tudo que está previsto no projeto, sem perder de vista questões importantes como, por exemplo, recursos humanos, logística, preço e qualidade. 

Neste artigo vamos falar sobre o que é um orçamento de obra, a diferença dele para orçamentação e dar orientações e dicas sobre como fazer um orçamento detalhado. Você verá que ele é uma ferramenta estratégica que contribui para que a empresa cumpra o que foi planejado e obtenha os melhores resultados. 

O que é um orçamento de obra?

O orçamento de obra é uma das mais importantes e imprescindíveis ferramentas de gestão. Ao mesmo tempo em que ele é uma imagem do financeiro da obra, ele é também um mapa detalhado que dá direcionamento para a criação de planejamentos estratégicos com alto índice de decisão.

Ele nos diz quanto a obra vale e, apesar de ser uma estimativa, ele deve ser feito sobre bases muito sólidas e informações muito consistentes. Por meio do orçamento de obra, é possível fazer uma previsão de custos do início à finalização do empreendimento.

Assim, da mesma forma que ele prevê e auxilia no controle dos custos, ele também permite a previsão dos lucros. É possível, por exemplo, aumentar o lucro agregado de uma obra a partir de alguns ajustes para reduzir custos e desperdícios. Dessa forma, como o orçamento nos mostra onde e como os recursos estão alocados, realizar estes ajustes se torna uma tarefa muito mais fácil.

De forma geral, um orçamento de obra contempla todas as etapas e atividades do projeto. Ele apresenta previsões precisas sobre quais recursos são necessários para a realização da obra, como por exemplo, os gastos com materiais, equipamentos, recursos humanos e demais insumos.

Além disso, quando bem planejado, ele permite o controle correto dos recursos financeiros da empresa, fazendo com que ela seja mais rentável e tenha mais credibilidade junto ao mercado de construção civil. Tudo isso aumenta o poder de negociação da empresa junto a seus fornecedores e a torna mais competitiva em concorrências e licitações, em obras privadas ou públicas. 

Orçamento de obra versus Orçamentação

Explicando de forma simples, a orçamentação é o processo de levantamento, análise e definição dos custos de uma obra e o orçamento é o resultado deste processo.

Portanto, quando um gestor ou profissional orçamentista está fazendo o levantamento de tudo o que será necessário para que a obra aconteça, será preciso fazer a previsão dos recursos e custos. Assim, o orçamento é a finalização, ou seja, a integração de todas estas informações em um único documento. 

A partir da orçamentação podemos ter três tipos diferentes de orçamentos:

Estimativa de custos – é uma avaliação feita a partir da comparação entre projetos similares ou de índices genéricos, como por exemplo, o custo unitário por metro quadrado construído. Nestes casos uma das referências mais utilizadas é o CUB (Custo Unitário Básico de Construção).

Orçamento preliminar – É uma previsão mais detalhada que a estimativa de custos. Para fazê-lo são usados alguns dados quantitativos. Ele é feito após o anteprojeto e antes do desenvolvimento de projetos básicos.  

Orçamento analítico – É o orçamento mais detalhado, pois faz previsões considerando os custos diretos e indiretos, valores unitários de insumos, produtos e serviços, para cada etapa da obra. Geralmente, este tipo de orçamento é feito a partir de projetos básicos, pois eles contemplam informações quantitativas importantes e mais precisas.

Como fazer um orçamento de obra?

Antes de mais nada, é importante poder contar com a contribuição e participação de todas as áreas da empresa. Não há como organizar um orçamento preciso sem que todos os departamentos estejam envolvidos neste processo, apresentando dados, percepções e necessidades. Este conjunto completo de informações é que permitirá que nenhum detalhe seja esquecido.

Existem muitas soluções tecnológicas para geração de orçamento de obra, como por exemplo o 90 Compor ERP. Conhecer e utilizar o BIM (Building Information Modeling), também contribui muito para que os orçamentos sejam cada vez mais precisos. No entanto, paralelo ao uso destes sistemas, é preciso conhecer todas as etapas e procedimentos essenciais para criação do orçamento de obra. Veja a seguir algumas etapas que precisam ser cumpridas e que contribuem para a criação do orçamento.

1.Desenvolva o projeto executivo

O projeto executivo é o detalhamento de tudo o que é necessário para a realização da obra. Este não é um projeto novo, mas um aprofundamento do projeto básico, com informações muito mais específicas e minuciosas de cada etapa. Ele deve conter informações claras e precisas sobre:

Cronogramas – Previsão do tempo necessário para execução das etapas do projeto e prazo de entrega dos serviços.

Relação de materiais e equipamentos – Detalhamento descritivo e quantitativo de todos os materiais e equipamentos que serão utilizados para que a obra aconteça.

Cotações e negociações – Junto à relação dos materiais e equipamentos é necessário anexar os orçamentos e negociações feitas junto aos fornecedores de serviços, com o máximo de detalhamento possível.

Plantas baixas – Deve conter todas as especificações do projeto, com informações e desenhos detalhados.

Especificações técnicas – São informações sobre a instalação, montagem e execução da obra. Estas especificações devem estar dentro dos padrões de qualidade exigidos pelas normas da ABNT. O documento deve ser construído considerando estas normas para evitar que o projeto executivo perca sua validade e impeça a obtenção de alvarás e licenças para realização da obra.

Dessa forma, quando a empresa está participando de licitações, públicas ou privadas, estes cuidados devem ser redobrados para evitar inconsistências, por exemplo, em desenho incorretos e cálculos. Além disso, em caso de obras públicas, estes erros podem levar a ações judiciais contra a construtora e os profissionais responsáveis pelo projeto.

2. Orçamento de obra: desenvolva o memorial descritivo

O memorial descritivo é um documento público, exigido por lei e registrado em cartório, que traz a descrição detalhada de tudo que será utilizado no projeto. Por ser um documento aberto à consultas, ele permite que os consumidores finais consigam visualizar como será o empreendimento quando estiver finalizado. Assim, é possível saber exatamente em que está investindo.

Considerando que podem haver problemas na entrega e nos prazos, o memorial funciona como uma segurança a mais para eles. Ele traz mais credibilidade para a construtora, mais segurança para o cliente na hora da compra e melhora a relação e a confiança entre eles.

memorial descritivo é um documento de consulta que permite o gerenciamento da execução da obra. Ele é um guia para que ela seja feita de acordo com a planta aprovada do projeto, desde as fundações até os materiais utilizados nos acabamentos finais, como jardins, vidros, cerâmicas, etc.

De forma resumida, em um memorial descritivo não pode faltar:

  • Informações sobre a obra, como nome e tipo de construção.
  • Informações sobre proprietário e localização, como o nome dele e dos profissionais responsáveis e seus respectivos registros (CREA), CNPJ, dados para fiscalização, e onde a obra estará alocada.
  • Detalhamento sobre tudo que foi projetado para cada etapa de execução da obra, como parte elétrica e hidráulica, alvenaria e acabamentos.
  • Relação de tipos e quantidades de materiais utilizados na alvenaria, número de andares e medidas. Descrição minuciosa de todos os materiais utilizados no acabamento, como tipos de pisos, cerâmicas, azulejos, torneiras, vidros, etc.
  • Especificação das normas que definiram os cálculos, como a NBR 6118 para estruturas de concreto, a NBR 7480 para construção de concreto armado, a NBR 8800 para a execução de estruturas de aço de edifícios, etc.
  • Objetivo do projeto, como por exemplo, ser uma referência em segurança, uso de tecnologia e sustentabilidade. 

3.Calcule os custos, diretos e indiretos

É uma etapa estratégica na construção do orçamento de obra. Através da composição dos custos primários encontramos os custos diretos da obra. Por isso, é preciso analisar o projeto para verificar quais serviços serão executados, qual será a mão de obra necessária, quais materiais e equipamentos serão utilizados. Todos os quantitativos devem ser averiguados.

Da mesma forma, é preciso levantar todos os custos indiretos, que são compostos pelos gastos com energia, água, transporte, materiais de escritório, segurança e outras situações ou condições que podem de alguma forma impactar negativamente a realização da obra, causando atrasos e gastos extras.

4.Não esqueça os impostos e taxas

É uma das etapas da orçamentação que precisa de mais atenção. Erros ou negligência nos cálculos de impostos e taxas podem comprometer bastante o orçamento e trazer problemas, como multas e punições. Como nossa carga tributária é bastante alta, todo cuidado é importante.

5.Acrescente o lucro

O cálculo do lucro é feito, basicamente, a partir da diferença entre o faturamento e os custos. No entanto, calcular os lucros em construção civil nem sempre é uma tarefa fácil, pois existem diversos fatores que interferem nos resultados finais. 

No caso de obras podem ocorrer imprevistos e atrasos que podem trazer impactos negativos. Além disso, é preciso levar em consideração as características próprias da obra, o mercado e os níveis de competitividade enfrentados. 

Um bom ERP para construção civil contribui muito para que estes cálculos sejam feitos com mais segurança e assertividade, pois conseguem analisar um número maior de informações e variáveis.

4 dicas para desenvolver um orçamento de obra de qualidade

1.Use tabelas referenciais

Para evitar diferenças nos cálculos finais, fique atento aos custos unitários específicos de cada item durante a orçamentação. Isso evitará orçamentos inflados com compra de itens em quantidades inadequadas que resultarão em sobra ou falta destes itens.

Uma boa solução é utilizar tecnologia especializada para realizar um controle mais rigoroso de quantidades, encontrar possíveis duplicidades de itens orçados e evitar gastos desnecessários.

2.Compare valores de prestadores de serviço

Entenda como valor não apenas o preço, mas as vantagens e benefícios que a empresa tem ao contratar prestadores de serviços. Ao fazer este levantamento, considere itens como produtividade, tempo de entrega da atividade e qualidade. Ao focarmos apenas no preço, o “barato pode sair caro”. 

Um software de gestão é fundamental nestes momentos, pois pode entregar relatórios completos, com um histórico dos valores pagos a prestadores de serviços em outras obras e os resultados obtidos. Isto é essencial para uma tomada de decisão segura e mais estratégica.

3. Equilibre qualidade e preço dos materiais de construção

Fazer isso nem sempre é uma tarefa fácil, mas equalizar bem essa relação é fundamental para a definição de um bom orçamento de obra. Qualidade e durabilidade podem favorecer o aumento da produtividade e atender melhor às expectativas dos clientes. Por isso, o fator preço pode ser adequado ao que foi definido como meta, mesmo que em um primeiro momento pareça “caro”

Uma boa solução tecnológica especializada em construção civil pode ajudar a calcular exatamente o que a empresa precisa, sem perdas de qualquer tipo ou gastos adicionais desnecessários. 

4.Planeje a logística e o armazenamento

Quando a logística e o armazenamento não são planejados cuidadosamente, o prejuízo pode vir através de perdas financeiras com materiais expostos a condições inadequadas ou até mesmo de funcionários parados, aguardando materiais ou equipamentos, impactando em sua produtividade.

Um software de gestão pode contribuir para que tudo funcione perfeitamente na obra. Além de evitar sustos e prejuízos, eles trazem mais tranquilidade e qualidade para a execução destas atividades. 

Otimize a criação de seu orçamento de obra

Poder contar com informações detalhadas e precisas na hora de desenvolver um orçamento de obra é fundamental. Soluções tecnológicas podem fornecer estas informações com mais agilidade, segurança e assertividade, fazendo com que a orçamentação seja algo mais simples de fazer. 

Há softwares de gestão que promovem o gerenciamento de dados integrados de todos os departamentos da empresa. Por isso, eles contribuem para a geração de relatórios mais detalhados e minuciosos, um levantamento de dados mais preciso, um melhor controle financeiro e  uma melhor eficiência em todos os processos de gestão. 

Tudo isso traz um embasamento mais sólido para as tomadas de decisão e contribui para a criação de um orçamento de obra mais rigoroso, com um custo justo e adequado ao contexto da obra. O resultado é uma entrega com mais qualidade e executada no tempo planejado.

Quando for criar seu próximo orçamento de obra, conte a tecnologia do  90 Compor Orçamento de Obras para otimizar este processo e ampliar a visão de gestão de sua empresa. Acesse nosso link e agende uma demonstração.